sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

"Povo-fantasma": comunidade de albinos convive com o medo de ser mutilada e morta por caçadores

Em algumas partes do país, acredita-se que essas pessoas são seres mágicosUma série de imagens em preto e branco produzidas pelo fotógrafo Claudio Simunno durante sua passagem pela Tanzânia revela o cotidiano do 'povo-fantasma', como são conhecidos os albinos do paísUma série de imagens em preto e branco produzidas pelo fotógrafo Claudio Simunno durante sua passagem pela Tanzânia revela o cotidiano do "povo-fantasma", como são conhecidos os albinos do país



Essas pessoas convivem diariamente com o medo de serem perseguidas e mutiladas por caçadores


Em algumas partes do país, os caçadores de albinos cortam os cabelos, braços, pernas, pele, olhos e órgãos genitais de suas vítimas, com o objetivo de usar essas partes de seus corpos em feitiços e poções preparadas por curandeiros tribais

As consequências para as vítimas são graves — frequentemente, elas são deixadas para morrer agonizando após os ataques
A Tanzânia tem a maior proporção de albinos em relação à sua população de todo o continente africano
Um em cada 1.400 bebês nascidos no país é albino 
Acredita-se que o grande número de albinos no continente africano se deva ao grande número de relacionamentos entre membros da mesma família na região — no mundo, a condição afeta aproximadamente uma em cada 20.000 pessoas

Foto: Reprodução/ Daily Mail
r7.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário