segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Com atraso, 480 mil voltam às aulas na rede pública do DF nesta segunda

Reposição por greve adiou início do ano letivo por mais de duas semanas.
Lei obriga semana de recesso e um mês de férias; veja calendário de 2016.Calendário letivo de 2016 divulgado pelo GDF; aulas devem começar em 29 de fevereiro (Foto: GDF/Divulgação)Cerca de 480 mil alunos voltam às aulas nesta segunda-feira (29) em 657 escolas públicas do Distrito Federal. O ano letivo começa com mais de duas semanas de atraso em função dareposição de aulas perdidas durante a greve dos professores, entre outubro e novembro.

O adiamento ocorreu porque a lei prevê que o GDF tem de reservar ao menos uma semana de recesso escolar e, em seguida, um mês de férias para os servidores da educação. Os professores fizeram a reposição de aulas de 2015 até 16 de janeiro deste ano – para não terem o ponto cortado pelos dias parados.


Pelo calendário de 2016, as férias do meio do ano estão previstas para começar em 30 de julho e terminar em 14 de agosto. O ano está previsto para terminar em 28 de dezembro.
Em 2015, o ano letivo tinha previsão para começar em 9 de fevereiro, mas reformas nas unidades de ensino e uma paralisação de professores adiaram o início das aulas em duas semanas.
A mudança no calendário, somada aos atrasos no 13º salário e no abono das férias, causou insatisfação entre os professores. À época, a categoria disse que a alteração foi arbitrária e trouxe prejuízos a estudantes e funcionários da área.
Os servidores reivindicavam o pagamento de parcela de 3,5% de reajuste salarial negociado na gestão passada. O reajuste foi suspenso pelo governador Rollemberg por falta de recursos – a data anunciada para o pagamento é outubro deste ano, sem os retroativos, que devem ficar para 2017.
Outra condição apresentada pela categoria e acatada pelo GDF foi a apresentação de um cronograma de pagamento para as licenças-prêmio dos servidores. Segundo chefe da Casa Civil, Sérgio Sampaio, os bônus devem ser repassados aos professores até março, a depender da "disponibilidade de dinheiro em caixa".
Professores da rede pública do DF durante assembleia nesta segunda-feira em que decidiram manter a greve iniciada no dia 15 de outubro (Foto: Jéssica Nacimento/G1)Professores da rede pública do DF durante assembleia de greve, no dia 9 (Foto: Jéssica Nacimento/G1)
Material escolar
Mesmo com a inflação de 10,67% no país em 2015, o governo do Distrito Federal decidiu manter para 2016 o valor do Cartão Material Escolar do ano passado. O benefício concedido a estudantes que pertencem a famílias cadastradas no Bolsa Família continua sendo de R$ 80. O cartão deve ser entregue um mês após o início do ano letivo na rede pública, previsto para 29 de fevereiro.
Pais correm contra o tempo para garantir material escolar de filhos no interior do AC  (Foto: Adelcimar Carvalho/G1)Pais compram material escolar de filhos
(Foto: Adelcimar Carvalho/G1)
O programa foi criado durante a gestão de Agnelo Queiroz, em 2013. O valor da bolsa foireduzido a um terço do valor – passando dos R$ 242, oferecidos em 2014, para R$ 80, quando Rodrigo Rollemberg assumiu o mandato, em 2015.
Em agosto do ano passado, o GDF informou que os R$ 10 milhões reservados para o programa naquele ano seriam repassados diretamente às escolas. “Em vez de beneficiar os 150 mil alunos que receberiam o cartão, vamos beneficiar os 480 mil alunos da rede pública”, disse o secretário Júlio Gregório à época.
Se o valor do Cartão Material Escolar tivesse sido corrigido pelo IPCA (o índice oficial da inflação medido pelo IBGE), o Cartão Material Escolar deveria ser de R$ 89,99. Na prática, as famílias compram menos itens com o mesmo dinheiro por causa da inflação.
A Secretaria de Educação informou que o governo trabalha na chamada pública que vai definir quais são as lojas autorizadas a receber as compras pelo Cartão Material Escolar. O benefício vai ser liberado pelo Banco de Brasília (BRB) um mês após 29 de fevereiro. Não há estimativa da quantidade de estudantes que devem receber a verba.
fonte:G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário