sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

PF VIROU A CASA DA SEDIÇÃO. OU SERIA DA MÃE JOANA?

PF virou a casa da sedição. Ou seria da Mãe Joana?
DELEGADOS DA PF CERCAM O ZÉ CARDOZO E O PÕEM NA PAREDE. JÁ NÃO SE SABE MAIS QUEM É DE FATO O MINISTRO DA JUSTIÇA. É A CASA DA SEDIÇÃO.
Enquanto a PF vaza a Lava Jato, aos olhos do “japonês bonzinho”, os delegados apertaram o Zé na parede. É a enésima vez que isso acontece desde que eles, os delegados, entenderam que o ministro da Justiça não tem força para impedi-los.
Para render a conversa, os ínclitos delegados disseram, em manifesto, que os cortes são a “Operação Desmonte da Polícia Federal”.
Os delegados enfim mostraram o real interesse de tanto palavrório: eles querem a autonomia para a PF.

O amigo navegante deve se perguntar por que os delegados estão tão ávidos por poder se eles têm o ministro da Justiça encostado na parede.
Ora. Imagine o que fará cada delegado caso a PF se torne autônoma? Fazer tiro ao alvo com a imagem da presidenta e instalar escuta telefônica em mictório de preso vai ser fichinha.

Delegados da Polícia Federal divulgaram, nesta quinta (7), manifesto em que criticam os cortes orçamentários no órgão, subordinado ao Ministério da Justiça. O documento, aprovado em assembleias da categoria nesta semana, chamam os cortes de “Operação Desmonte da Polícia Federal”.
“Há alguns anos, observamos a redução dos investimentos na PF e a carência sistemática de recursos, inclusive, para a manutenção das atividades rotineiras da instituição”, diz o texto.
Nas últimas semanas, o Ministério da Justiça e a Polícia Federal travam uma disputa pública em relação aos cortes orçamentários no órgão. O manifesto dos delegados ocorre após o ministro José Eduardo Cardozo afirmar à Folha que o ajuste não terá impacto na Lava Jato.
A ADPF (Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal) já havia se posicionado contra os cortes, dizendo que o trabalho da PF seria prejudicado.
O corte previsto, de R$ 133 milhões, deve ser recomposto ao orçamento da PF em créditos suplementares do Ministério da Justiça e com emendas parlamentares, conforme publicou nesta semana o Painel. Nesta quarta (6) PF divulgou nota em que calcula os cortes em R$ 151 milhões e diz aguardar uma recomposição orçamentária.
Fonte:Google notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário